terça-feira, 19 de novembro de 2019

Finalmente, Entrei pra Steam!

Minha História como Indie Dev Profissional

Capítulo IX

Finalmente, Entrei Pra Steam!

Era 2015, eu estava trabalhando no Porradaria 3, que decidi dar o subtítulo de "Cyber Reborn", pois percebi que meu estilo de comédia nos jogos não era bem compreendido pelos estrangeiros no geral, logo, decidi tentar partir para uma abordagem mais séria e voltada ao público global (o que sinceramente estava me desagradando).

Apesar de estar com os dois jogos empacados no Steam Greenlight, eu conseguia vez ou outra uma boa quantia na venda dos bundles. Com esse dinheiro, além de complementar a renda da casa, deu pra investir em muitas coisas como novos softwares, peças novas para o PC, um notebook novo (porém simples) com Windows 10 original, etc.

Não fiquei rico nem nada, mas tudo estava indo muito bem. Inclusive, cheguei a começar até a fazer uma reserva em dólar na minha conta do Paypal, que eu deixaria para sacar quando o mesmo estivesse em alta ou em caso de extrema necessidade.

Eu estava trabalhando no Porradaria 3: Cyber Reborn a todo vapor, no entanto, mais ou menos na metade do ano, recebi uma notícia inesperada:

Porradaria Upgrade havia sido aprovado no Steam Greenlight!

Obviamente vibrei de alegria. Com essa nova conquista, trabalhar na versão Steam do jogo se tornou prioridade e o Porradaria 3 foi deixado de lado.

Aproveitei todas as opiniões (tanto positivas, quanto negativas) que recebi no Greenlight para trabalhar na nova versão do Porradaria Upgrade. Comprei a versão mais recente do Game Maker, o Game Maker: Studio, para implementar as conquistas Steam, mas por algum motivo estranho, a função de importação de projetos não deu muito certo, tive que refazer o jogo todo do zero. Felizmente, já tinha bastante experiência na ferramenta, além disso, o conceito, gráficos e recursos sonoros do jogo já estavam todos prontos, por isso levei apenas um mês para fazer a nova versão (já revisada e com as melhorias).

O lançamento no entanto não foi grande coisa, não vendi milhares de cópias do jogo, afinal, já tinha vendido esses milhares através dos bundles. O que tive foram milhares de ativações das chaves que prometi entregar e apenas algumas dezenas de cópias vendidas diretamente na Steam.

Mesmo não tendo sido um sucesso comercial para os padrões da indústria, o lançamento do Porradaria Upgrade agilizou os votos do Porradaria 2 no Greenlight. Passei a receber mais propostas de bundles para ambos os jogos, que acabei aceitando.

Vender em bundles, mesmo desvalorizando os jogos, estava sendo mais proveitoso. Primeiro que a Steam só paga por transferência internacional direta (e deixar um limite mínimo muito baixo resultaria no meu lucro todo sendo comido por tarifas e impostos). Segundo que eu também ainda estava traumatizado por aquele episódio que tive com o gerente do banco quando recebi meu primeiro pagamento (lembra?). Receber através do Paypal nunca me deu esse tipo de dor de cabeça. Por último, eu queria aumentar o máximo possível a minha reserva em dólar. Trabalhar em cima da especulação do dólar acabou sendo uma segunda atividade sem eu mesmo perceber.

Com Porradaria Upgrade na Steam e os "votos sim" do Porradaria 2 aumentando consideravelmente, Porradaria 3 deixou de ser prioridade mais uma vez e comecei a trabalhar na versão Steam do Porradaria 2, que foi aprovado no final do mesmo ano (e também tive que refazer do zero, aproveitando pra revisar e melhorar várias coisas no processo).

Agora chega a parte que as coisas finalmente começaram a melhorar para mim.

Continua…

6 comentários:

  1. ta escrevendo um livro que daria um filme

    ResponderExcluir
  2. No aguarado, vim lá da Centro RPG! (Sou o Ven).
    Estou gostando muito mesmo da história!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa Ven, beleza? Bom te ver aqui!

      A história já está chegando no climax. ^_^

      Excluir
  3. Top!! Desejo muito sucesso com seus jogos, sua história é inspiradora cara!

    ResponderExcluir