sábado, 14 de setembro de 2019

Steam Greenlight

Minha História como Indie Dev Profissional

Capítulo VII

Steam Greenlight

O segundo grande desafio da minha carreira. Ser aprovado no Steam Greenlight!

Eu sabia que se quisesse ir pra frente como desenvolvedor independente, teria que lançar um jogo na loja Steam. Eu estava vendendo apenas na Desura, mas ela não tinha muita visibilidade. Outras lojas maiores sempre tiveram as portas fechadas para desenvolvedores pequenos (a não ser que o estilo do seu jogo fosse do interesse deles). Além disso, os sites de bundles sempre exigiam que seu jogo estivesse na Steam, ou pelo menos no Greenlight.

Porradaria Upgrade mesmo só foi aceito em um bundle por que afirmei categoricamente que iria pagar a taxa do Greenlight com o pagamento do bundle e distribuir as chaves Steam para quem tivesse comprado lá. Claro, um homem deve sempre cumprir sua palavra e foi exatamente isso que fiz. Com o que sobrou do pagamento do bundle, eu paguei a taxa do Steam Greenlight.

O desafio agora era conseguir fazer uma apresentação decente com o que eu tinha e conseguir os votos necessários para o jogo ser aprovado!

Quando comecei a trabalhar na ideia de vender o Porradaria Upgrade, eu pensei em mudar o nome e fazer um jogo "sério", mas eu nunca conseguiria fazer algo que pudesse competir de igual pra igual com outros desenvolvedores. A maioria dos outros indies trabalhava em equipe e outros tiravam 200 mil dólares (ou mais) do próprio bolso pra investir no seu projeto, enquanto eu trabalhava sozinho, em um PC capenga, dividindo o tempo entre trabalhar, cuidar da casa e da mãe (também sozinho) e ainda contando moedinhas pra comprar o pão de cada dia.

Quando me dei conta de que eu nunca iria conseguir competir de igual pra igual com eles, como diria um trecho da música I'm the Wind:

"… And the best in me is all I have to give…"

E o meu melhor sempre foi a comédia. Fazer piada de mim mesmo e da minha falta de condições. Por isso apostei na ideia original do Porradaria Upgrade e decidi manter a essência da comédia. Isso deu certo antes com o Fantasya Final Definitiva, só que não deu certo dessa vez.

O começo no Greenlight foi bem duro, recebi muitas críticas destrutivas, muita gente não pescou a ideia do jogo ser uma paródia (principalmente os estrangeiros). Muitos estrangeiros inclusive taxaram o jogo de "joke submission" e o hate por causa disso era generalizado. Eu conseguia muito mais "votos não" do que "votos sim" por causa disso e após a primeira semana, o Porradaria Upgrade não foi aprovado e estava bem longe de ser algum dia.
Quando que um estrangeiro ia entender uma piada dessas?
Na época exista uma cultura (enfiada goela abaixo por desenvolvedores de orçamento maior) de que "jogo bom vendia por si só" e que se ele não fosse aprovado na primeira semana, merecia "morrer no limbo" do Greenlight. O engraçado dessa mentalidade é que ela ia completamente contra o que eu havia aprendido no curso Técnico de Administração (e a proposta do próprio Greenlight), mas como os "profissionais da indústria" eram eles, quem era eu pra discordar, não é?

Em todo caso, tudo ainda não estava perdido…

Na época existiam os "Greenlight bundles", que eram justamente bundles que vendiam jogos que estavam estagnados no Steam Greenlight. Eles vendiam bem na época, mesmo pagando um miserê (e quando digo miserê, é miserê mesmo). Cada cópia do jogo em um bundle equivalia cerca de 5 centavos. Esses bundles no entanto, vendiam na casa dos milhares, logo, dava pra conseguir de 500 a 2.000 reais numa tacada só. Era isso que estava salvando nosso orçamento doméstico na época.

Tive que botar o Porradaria Upgrade em vários bundles consecutivos, pois precisava do dinheiro e foi com esse dinheiro que também fui aprimorando meu trabalho, adquiri a versão completa do Game Maker 8, novos softwares, controles USB, etc. Mesmo vendendo em muitos bundles e recebendo alguns votos a mais, os "votos não" continuavam sendo a maioria.

No fim, já havia me conformado com a ideia de que nunca iria entrar pra Steam, estava me contentando apenas com as vendas dos bundles mesmo. Afinal, eu só precisava de dinheiro pra complementar a renda de casa. Nunca fiz questão de fazer sucesso ou ficar rico com meus jogos, enquanto pudesse viver fazendo o que gosto e tivesse alguém se divertindo com meus jogos, já estaria feliz.

Porradaria Upgrade foi vendido em tantos bundles que já estava sendo recusado. Eu precisava de um jogo novo. Foi então que tive uma brilhante ideia…

2 comentários:

  1. Top... ansioso pelo próximo capítulo! Seria bacana se tu compartilhasse sua história em outros veículos... sei lá: Medium, Linkedin, grupos do facebook... acho bem interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Tiago! o/

      Na verdade já estou compartilhando em alguns fóruns e grupos no Facebook sobre desenvolvimento de jogos… Mas vou estudar outras possibilidades. =)

      Grande abraço!

      Excluir