terça-feira, 11 de junho de 2019

Meu Jeito Ninja de Ser

Minha História como Indie Dev Profissional

Capítulo VI

Meu Jeito Ninja de Ser

Nos primeiros capítulos falei um pouco sobre mim, meu passado e minhas motivações para seguir a carreira de desenvolvimento de jogos. Agora vem a parte que eu de fato comecei a trabalhar profissionalmente com isso. Daqui pra frente irei narrar minhas desventuras sobre como consegui entrar para a Steam e me sustentar durante um bom tempo com a venda de jogos por lá.

Como havia dito no capítulo anterior, tentei vender o Porradaria Upgrade por conta própria na internet sem sucesso algum. Nessa época eu já havia ouvido falar sobre desenvolvimento de jogos indie. Também já conhecia o Google Play e os famigerados jogos para celular. Estava fora de cogitação para mim fazer algo para celular naquela época, afinal, nem smartphone eu tinha, mas tentar capitalizar aquele jogo ainda parecia ser a melhor opção de sustento na época. Foi então que pensei:

"Se existe loja para jogos de celular que aceitam desenvolvedores de qualquer nível, deve haver algo semelhante para PC também!"

Pesquisando, encontrei a loja Steam e também descobri o sistema Greenlight da época. O problema é que eu não tinha grana pra pagar a taxa do Greenlight (que estava na faixa dos R$200,00). Aliás, nem dinheiro pra comprar a versão completa do Game Maker 8 eu tinha, que só aceitava pagamento através de cartão de crédito internacional ou PaypaI ainda por cima, fazendo com que o jogo ficasse com uma logomarca de "Made with Game Maker Lite" de todo tamanho na tela do jogo.

Mesmo assim, eu resolvi continuar pesquisando e, felizmente, descobri outra loja. A falecida Desura. Pra quem não se lembra ou não chegou a conhecer, peguei uma screenshot do site no web.archive.org de quando o site foi vendido para a Bad Juju Games, Inc.
Por coincidência, tem um jogo meu aí na lista. Conseguiu achar?
Como na Desura não tinha nenhuma taxa para pagar, logo fiz logo um cadastro para enviar o Porradaria Upgrade. Foi então que topei com a grande primeira barreira (todas outras se tornaram brincadeira de criança a essa altura). Eu precisava de um trailer para o jogo ser aceito. Eu pesquisei vários softwares gratuitos para gravar o jogo rodando para conseguir fazer o tal trailer, mas todos eles saíam com uma qualidade terrível. Obviamente, meu PC, que já era bem velho e ultrapassado, não ajudava em nada. Eu tinha apenas um processador de 1 GHz com 256 MB de RAM e placa de vídeo integrada na época.

Eu tentei de tudo pra conseguir produzir o tal trailer, mas nada adiantava. Até mesmo gastar minhas economias em uma placa de memória RAM, fazendo o PC ter o total 768 MB de RAM não resolveu o problema. A qualidade dos trailers saía péssima e o staff da loja continuava a rejeitar a inscrição do Porradaria Upgrade. O problema já não estava mais na minha capacidade de produzir um trailer, estava no PC que não dava conta de processar o software e o jogo ao mesmo tempo para gravar o trailer. A solução estava completamente fora do meu alcance.

Quando tudo parecia perdido, eis que eu recebo a mensagem de uma prima rica dizendo que ia jogar o PC velho dela fora, pois o mesmo havia estragado e ela havia comprado um novo. Ela resolveu me perguntar se eu ia querer. Claro que aceitei sem pensar duas vezes. Eu havia feito um curso de Montagem e Manutenção de Computadores e também trabalhei um certo tempo com isso (lembra?), consertar aquele PC não foi tão difícil com meus conhecimentos no assunto.

Acho que nem preciso dizer que o "PC velho" dela era muito superior ao meu, preciso?

Agora que eu tinha um processador dual core de 2 Ghz e 2 GB de RAM, fazer o tal trailer foi mamão-com-açúcar. Porradaria Upgrade, finalmente, depois de tanto trabalho duro, esforço e dedicação, aos trancos e barrancos, foi aprovado e passou a ser vendido na loja Desura (com watermark e tudo)!

Segue abaixo o bendito trailer, para quem tiver a curiosidade de conhecer…


No entanto, mesmo depois de um mês inteiro na loja, não consegui vender nem mesmo uma única cópia novamente. O lançamento do jogo na loja Desura foi mais um fiasco.

Eu resolvi entrar em contato com o pessoal da loja e pedir algumas dicas sobre como vender o jogo. Eles me deram várias dicas boas. Muitas delas infelizmente estavam fora do meu alcance, mas uma delas foi decisiva para alavancar minha carreira. Eles me indicaram um site de bundles (daqueles que vendem vários jogos em um pacote só a preço de banana).

Consegui incluir o Porradaria Upgrade depois de algumas negociações em um bundle desse site. Mesmo recebendo pouco, tendo várias taxas e tarifas pra receber o dinheiro e ainda ter que reclamar com a ouvidoria do banco na hora de receber, pois o gerente estava inventando um monte de desculpas porcas pra não me pagar e sumir com a grana, esse pagamento foi mais do que suficiente para pagar a taxa do Steam Greelight e ainda botar as contas em dia.

O próximo grande desafio era conseguir passar pelo sistema do Steam Greenlight e vender esse jogo na loja Steam. Nada foi mais difícil que isso.

7 comentários:

  1. massa sua hist[oria nos games

    ResponderExcluir
  2. Ali pelo meio do texto já estava me perguntando se você não conhecia uma única alma viva com dinheiro pra te arrumar um PC rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conhecer a gente conhece, o problema é a pessoa ter boa vontade e generosidade. Hahaha…

      Excluir
  3. Poxa lembro dos seus jogos desde a época da PDJ, nunca imaginei a tamanha dificuldade por trás deles. Parabéns, és um vencedor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Tiago!

      E olha que nem cheguei nas piores partes da história ainda! Hahaha…

      Excluir
    2. Top, aguardo os próximos capítulos!

      Excluir